Coliving, saiba mais sobre esta tendência na Bahia


Quando se é uma pessoa solteira e independente e se procura um apartamento para alugar em Salvador, é comum nos depararmos com um lugar que reúna todas as condições que tanto desejados em um imóvel, porém nem sempre temos condições de arcar com todas as despesas envolvidas. Nesse sentido, o coliving acaba sendo uma excelente solução.

Porém não é apenas por essa razão que uma pessoa busca o coliving. De fato, ela pode simplesmente se sentir atraída por esse tipo de experiência ou aquilo ser o mais conveniente para ela em uma dada fase de sua vida. 

Mas o que é coliving? Como funciona essa modalidade de moradia? Quais são as suas desvantagens e vantagens? É o que será abordado adiante.

O que é coliving?
Por incrível que pareça, o conceito de coliving não é algo novo. Pelo contrário, ele surgiu na década de 1970, mais precisamente no ano de 1972, quando da implementação de um projeto de cohousing do mundo, na Dinamarca. Nesse projeto, cerca de 35 famílias diferentes permaneceram com suas casas privadas, porém compartilharam espaços de convivência e tarefas domésticas.

Desse modo, deram um estímulo maior para a relação entre os vizinhos. Ao que tudo indica, a ideia foi bem sucedida, dado que percebe a similaridade entre esse projeto e o que conhecemos como condomínios residenciais. Entretanto, ao final da década de 1980, o projeto passou por uma reformulação.

Nessa modalidade de habitação, atualmente, envolve-se uma infinidade de atividades e possibilidades diferentes. Isso vai, por exemplo, desde a limpeza dos ambientes e as refeições até os eventos, festas e os grupos de interesse em comum.

Ou seja, coliving significa pessoas que moram juntas, compartilhando o mesmo espaço físico ou então comunidades que partilham de ideais e filosofia de vida. Coliving é um local, que tanto pode ser uma casa quanto um apartamento, no qual pessoas diferentes compartilham a morada. 

A razão inicial é muitas vezes financeira, a divisão das despesas de moradia, que são muitas vezes as que mais pesam no orçamento mensal. Em tempos como esse de complexa crise financeira e econômica, esse tipo de moradia acaba se tornando uma opção mais atrativa e interessante, a fim de controlar as finanças.

Entretanto, a divisão de gastos não é o único motivo. Há outros aspectos dentro das relações humanas que instigam as pessoas a procurarem essa forma diferente de se morar.

Como funciona o coliving?
Surpreendentemente, não existe apenas uma única forma de se praticar o coliving. Com efeito, há pelo menos três maneiras distintas de coliving. São elas:

República
Essa talvez seja uma das formas de coliving mais conhecidas de todas. Ela é normalmente utilizada por estudantes, que dividem a casa em maior número, podendo ou não compartilhar os quartos. Além disso, pode acontecer de haver repúblicas que contam com a presença do dono do imóvel, ou seja, o proprietário também mora no espaço em questão.

Roam
Neste tipo de coliving, a pessoa paga pela locação de um quarto que pode ser usufruído em diversas parte do mundo. Entretanto, todos estes quartos estão conectados à empreiteira proprietário do espaço em questão.

Flatsharing/cohousing
Indivíduos de lugares e com objetivos diferentes se unem para morar em uma casa sem a presença do proprietário, tendo assim maior liberdade e autonomia. Nada mais é do que o simples fato de um conjunto de poucas pessoas realizarem o aluguel em Salvador “tradicional” de uma casa ou apartamento.

É importante pontuar que o coliving não é sinônimo de bagunça. Cada uma das pessoas possui o seu próprio quarto, porém os demais ambientes do imóvel, como sala de estar, lavanderia, cozinha, área de lazer, entre outras, são compartilhadas entre os moradores.

Além disso, a manutenção, o que inclui organização, limpeza e reparos desses espaços compartilhados são repartidos entre os moradores, assim como também as contas gerais da casa (aluguel, água, luz, internet, telefone, condomínio, faxineira, tv a cabo, etc).

Frequentemente, o coliving vai muito além das responsabilidades. Muitos momentos de convívio podem acontecer e até mesmo ocorrer uma amizade sincera e profunda, de verdadeiro companheirismo, entre os moradores.

Ademais, todos os assuntos que envolvem o imóvel são resolvidos em conjunto, sempre prezando pelo diálogo e harmonia.

Mas não é apenas uma questão de economizar dinheiro ou de necessidade de configuração diferenciada de moradia devido ao momento que você está vivendo. A própria conjuntura nacional e social como um todo, onde com o crescimento populacional e urbano os espaços disponíveis estão cada vez mais escassos, morar junto com alguém se torna uma necessidade proeminente.

Como as cidades brasileiras cresceram vertiginosamente, a verticalização se tornou uma realidade frequente e consumada. Nesse sentido, os espaços compartilhados para moradia ajudam na economia colaborativa, na qual as áreas comuns são compartilhadas entre diferentes pessoas.

Apesar do público jovem ser de fato compor o perfil majoritário que procura esse tipo de habitação, outros tipos de públicos também aderem e tem cada vez mais aderido a esse esquema de compartilhamento, como profissionais em geral, estudantes, pessoas idosas e até mesmo famílias.

O que é de fato relevante nisso é uma coexistência pacífica e harmoniosa, que nutrem o profundo interesse de ajudar um ao outro e assim também garantir a sustentabilidade, para além apenas dos motivos pessoais.

Quais as vantagens de um coliving?
Uma das vantagens de se morar em um esquema de coliving é a fuga dos contratos formais e tradicionais. Isso porque eles muitas vezes demandam mais dinheiro e uma burocracia bem maior.

Além disso, você economizará bem mais dinheiro, conforme citado anteriormente. Uma vez que todos os gastos gerais da casa são repartidos entre os moradores, você terá a oportunidade de poupar mais dinheiro e/ou emprega-lo em outras coisas mais interessantes e importantes para você.

Ademais, no coliving, você terá a oportunidade de conhecer e aprender a conviver com diferentes pessoas, trocando experiências e tendo vivências diferentes.

Agora você sabe o que é coliving, como funciona e quais são as vantagens dessa modalidade de habitação. Curta e compartilhe esse post em suas redes sociais!

Postar um comentário

0 Comentários