Viúvo perde o emprego devido à pandemia e é forçado a dormir na rua com o filho de 10 anos


Foto: Reproduçãoe/YouTube ltrece

Em um momento difícil como o que vivemos por causa do Coronavírus, em muitas partes do mundo as pessoas foram forçadas a ficar em casa e a não saírem mais, exceto em casos de absoluta necessidade. No entanto, existem aqueles que não podem ficar em casa, simplesmente porque não têm uma casa, ou a perderam por causa dos problemas econômicos em que se encontravam.

E as dificuldades econômicas, neste momento, são cada vez mais comuns, tanto que muitas pessoas perderam seus empregos e, infelizmente, também um teto onde se abrigar. Como o pedreiro e eletricista, protagonista desta triste história, um viúvo que, com seu filho de 10 anos, foi forçado a dormir na rua.

A história é uma daquelas capazes de mostrar a todos a dura realidade de muitas pessoas que vivem com pouco e tentam ir em frente, apesar de tudo. Estamos em Buenos Aires, Argentina, onde Daniel, um viúvo de 54 anos, perdeu o emprego com o surto da pandemia.

Juntamente com seu filho de 10 anos, Lautaro, ele foi forçado a morar na rua e a dormir na Plaza Congreso, não sem incontáveis inconveniências diárias. Daniel e seu filho só têm as roupas que vestem. Como se sua condição ainda não tivesse sido suficientemente crítica, alguns ladrões também roubaram uma mochila com os poucos suprimentos que possuíam. Felizmente, a história deles chamou a atenção da mídia, que a tornou conhecida ao aumentar a conscientização sobre as condições em que eles e muitas outras pessoas menos afortunadas vivem.

Desde que Daniel e Lautaro se tornaram conhecidos por sua triste história, não houve falta de generosidade de muitas pessoas que resolveram ajudar. Comidas, roupas, itens de higiene pessoal: as doações recebidas comoveram o homem, feliz por tanta generosidade em um momento tão difícil para todos.

Também não faltaram pessoa que ofereceram um emprego para o homem, e houve até quem disponibilizasse sua propriedade para ele morar com o filho. Com a ajuda recebida, Daniel e Lautaro poderão, com excelente probabilidade, encontrar acomodações em ambientes fechados e viver esse momento terrível de uma maneira muito mais segura.

Essa história - semelhante à de muitas outras pessoas que, nesse período, realmente correm o risco de não conseguir ir em frente - nos faz pensar muito sobre a necessidade de nunca abandonar aqueles que sofrem. Afinal, é exatamente das piores experiências que podemos - e devemos - aprender as maiores e mais significativas lições.


Fonte:
Eltrece

Postar um comentário

0 Comentários