Sabrina Bittencourt, que ajudou a denunciar João de Deus, comete suicídio



A ativista social Sabrina Bittencourt, 37 anos, que recebeu as primeiras denúncias contra João de Deus e Prem Baba, cometeu suicídio neste sábado (2). O filho de Sabrina, Gabriel Baum, confirmou a morte da mãe no Facebook. “Ela deu o último passo pra gente poder viver. Eles mataram minha mãe”, postou. A ativista vivia em Barcelona, na Espanha, e teria falecido por volta das 21h.




Sabrina atuava na ONG Vítimas Unidas e ajudou mulheres a denunciar abusos sexuais de João de Deus e Prem Baba. Em nota enviada à imprensa, assinada por Maria do Carmo Santos, presidente da ONG, a instituição lamentou o ocorrido. 


"O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida", diz um trecho do comunicado.
"Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protege-los. A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo", finaliza o texto. 
Antes de morrer, Sabrina escreveu uma carta de despedida no Facebook e falou sobre sua luta pela vida das mulheres. "Marielle me uno a ti. Fiz o que pude, até onde pude. Meu amor será eterno por todos vocês. Perdão por não aguentar, meus filhos."
Sabrina foi abusada desde os 4 anos por integrantes da igreja mórmon frequentada pela família. Aos 16, ficou grávida de um dos estupradores e abortou. 
Centro de Valorização da Vida
O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias. Informações sobre o atendimento através do número: 188.

Fonte: Estadão

Postar um comentário

0 Comentários